QUE TAL CONHECER GRAMADO E CANELA FUGINDO UM POUCO DO ÓBVIO? | PARTE II

27.10.2017 | Brasil, Canela, Destinos, Experiências Gastronômicas, Explorando as Cidades, Gramado, Viagens Curtas

Oi gente! Antes de começar a ler esse post, sugiro a leitura da Parte I onde escrevo sobre as características das cidades, como chegar e circular por elas e onde se hospedar. Lá também estão as sugestões de Roteiro I e II e tudo fará mais sentido!

De qualquer forma, explico aqui novamente, que propus programas mais “outdoor” para conhecer tanto as belezas naturais como os principais pontos turísticos de Gramado e Canela e que trago dicas gastronômicas super gostosas e, talvez, inusitadas para você. E como na Parte I, você encontrará resenhas da nossa Chef aqui do blog, a Fernanda, dando seu parecer de profissional da área, sobre esses restaurantes. Ah, também comentei que alguns lugares só abrem durante a semana ou no final de semana, por isso, encontrará dica de dia específico para realizar os passeios.

Bom, dito isso, vamos dar sequência nos roteiros então? 😉

Roteiro III – (sugestão para sábado, terceiro dia)

A manhã de sábado será dedicada a conhecer o Centro de Gramado, batendo perna. Se estiver hospedado em Canela, poderá ir de carro, de ônibus circular ou ainda caminhando (7km), como sugeri lá no outro post. Chegando lá, você vai circular basicamente pela avenida principal, a Borges de Medeiros. Sugiro começar do início (rsrsrs) da avenida, pelo Lago Joaquina Rita Bier, um lago artificial com fontes (que são ligadas na época do Natal), onde é realizado o principal e mais tradicional evento do Natal Luz, o Reencontros de Natal, antes chamado de Nativitaten. Ao redor do Lago tem uma boa pista de caminhada, bastante usada pelos locais e turistas.

Indo em direção ao Centro, você passará pela Rótula das Bandeiras que está localizada na Praça Leopoldo Rosenfeldt, e tem esse nome pois nela estão hasteadas as bandeiras de todos os estados brasileiros.

Seguindo, mais adiante, chegará na Praça das Etnias, uma homenagem aos imigrantes italianos, alemães e portugueses.

Ali está a Casa do Colono, com produtos caseiros apetitosos como geleias, mel, queijos, salames e bolachas. Eles assam as cucas (uma espécie de pão doce alemão que você deve provar) diretamente nos seus fornos, que ficam ao lado da Casa. Difícil escolher o sabor, tem a tradicional e as com recheio de uva, ricota, goiabada, doce de leite, chocolate… uma tentação! Experimente também os tradicionais pães de milho, sovado e o de linguiça que, pra mim, é o destaque dos fornos. Como fazer pra comer tudo isso? Compre a cuca e o pão pra levar e prove o pão de linguiça lá mesmo, quentinho!

Na Praça você também encontrará artesanato local e aos sábados, das 7h ao meio dia, rola uma feira de produtos orgânicos, que os colonos trazem do interior. Chegue ali!

Ah, se estiver em Gramado entre abril e maio terá o privilégio de participar da Festa da Colônia. É uma comemoração da comunidade que reúne tradições dos imigrantes, como jogos, música ao vivo, danças e muita comilança com os tradicionais fornos e restaurantes, que servem culinária italiana e alemã de raiz.

Bora andar mais pra gastar caloria? Acho que engordei só de escrever (rsrsrs). A próxima parada será no “miolo” do Centro na Praça Major Nicoletti, a principal da cidade. Ela é super arborizada e no verão florida, e o laguinho dá um charme especial. Ali fica o Centro de Informações Turísticas e tem sanitários públicos limpos.

Ao lado dela está a badalada Rua Coberta. É uma rua com teto de vidro que liga a Avenida Borges de Medeiros a Garibaldi. Está sempre lotada de turistas em seus restaurantes e cafés. As cadeiras com pelegos e os grandes aquecedores ajudam a espantar o frio no inverno. Aí também ocorrem muitos eventos.

Logo em frente está o Palácio dos Festivais, famoso por sediar o maior Festival de Cinema da América Latina. Durante o evento, além de exibir os filmes que estão concorrendo, recebe artistas consagrados que passam pelo tapete vermelho e muitos turistas. Construído em estilo colonial, tem em sua fachada estampado o Kikito (o deus da alegria), que é replicado em estatuetas que são dadas como prêmio máximo do Festival. Fora dessa época, funciona como cinema com sessões de sexta a domingo, às 20h30.

Se você está de frente para o Palácio, do lado direito verá o Largo da Borges, um grande centro comercial, com lojas, restaurantes, livraria e cafés.

Ao lado esquerdo, está a bela Igreja Matriz São Pedro, inspirada no estilo arquitetônico romano com seus lindos vitrais. Na entrada da igreja, além da estátua de São Pedro, você encontrará mais 12 delas, dos apóstolos de Jesus, em tamanho real. Para os mais católicos, vale a pena assistir a uma missa lá! E ao lado da igreja está a Fonte do Amor.

Bom, esses são os pontos principais a visitar no centro. Sugiro ainda que você vá até o outro extremo da Avenida Borges de Medeiros, pois o caminho é muito agradável com comércio, restaurantes e bares. Perceberá que tudo é cuidado nos mínimos detalhes, é de encher os olhos.

Como você já visitou o forno dos colonos e o nosso passeio da tarde envolve comida, minha indicação para o almoço é fazer um lanche na Casa da Velha Bruxa, ao lado da Rua Coberta. A verdade é que não existe vir para Gramado e não ir lá.

A Fê descreve muito bem o porquê disso:

“A famosa Casa da Velha Bruxa e um café que existe no centro de Gramado a mais de 30 anos, fazendo a alegria dos comilões. A casa é do grupo Prawer e não preciso dizer que o chocolate quente servido lá é uma delícia! São dois tipos: um mais cremoso e outro feito com chocolate amargo. Você pode escolher com marshmallow, chantilly, rum, mentinha, enfim, opções não faltam. Eu escolho com marshmallow, já que é pra se lambuzar que seja com o mais doce!

Vou lá desde pequena e adoro o Lanche da Velha Bruxa, um gratinado de ovo, presunto, queijo, molho inglês e catchup, mas a Torrada da Velha Bruxa não fica atrás, a priori é simples, de presunto e queijo, mas o pão e a manteiga usados dão um toque pra lá de especial.

Lá você come fondue, pizza, sorvetes, waffles, croissants recheados, sopas, crepes, salada de frutas, milkshakes, tortas e cafés especiais, te juro, já fui tantas vezes que provei de tudo um pouco, e tudo é ótimo, então sinta o que apetece mais e te joga. Os pratos são super bem servidos e nada bate a banana split, é possível compartilhar entre 3 pessoas, não deixe de experimentar!”

Ah, e com toda a qualidade e localização privilegiada, você acompanha todo o vai e vem da Borges, os preços são acessíveis! O ambiente é muito aconchegante e o atendimento super cortês. Pra mim o imperdível lá é o Cascão, sorvete artesanal Prawer (qualquer sabor é demais) com cobertura quente de chocolate. Na época da faculdade a gente pegava o buzão de Canela pra Gramado só pra comer essa gostosura, coisa de gordinho né?! (rsrsrs) Mas vale cada caloria!

Outros dois lugares onde gosto muito de almoçar em Gramado são:

Alecrim Santo: um restaurante (a quilo e livre) com um farto buffet de saladas, pratos quentes e carnes grelhadas na hora, deliciosos. É aí que você encontrará as famosas panquecas doces, e se der sorte, terá a de doce de leite. A presença da dona, a querida Julia que cuida de tudo pessoalmente, garante a qualidade!

Mix Saudável: é uma raridade na cidade, uma casa de comidinhas fit deliciosas, ótima alternativa pra dar uma equilibrada na comilança. Eu amo os sanduíches de lá, qualquer sabor! Servem também saladas, tapiocas, crepiocas, wraps, açaí, iogurtes e sucos naturais. Tudo muito bem servido e eles tem delivery.

Então, foco no roteiro! Para a tarde pensei num passeio para você conhecer o interior de Gramado que é primoroso, o Tour Rural. Você acredita que eu nunca tinha feito esse tour? Já tinha visitado o interior, claro, mas de outras formas.

Nós realizamos o Passeio Princesinha – Tour do Vale. “Princesinha” é o ônibus old school da década de 50 que nos leva. O agroturismo está em alta aqui na Serra e por merecimento, porque os passeios são elaborados e divertidos. A saída é lá da Praça das Etnias às 14h, onde está a Casa do Agroturismo.

A bordo da Princesinha adentramos nas ruas de chão do Vale do Quilombo e da Linha 28 e, em meio a natureza e ao ar puro, fizemos uma viagem no tempo. Visitamos famílias italianas e alemãs que nos mostraram suas lidas do campo, costumes e nos ofereceram delícias caseiras.

A primeira parada foi na casa da Família Perini, uma das primeiras a chegar em Gramado, onde visitamos o “museu” (a casa conservada como era) e ouvimos sua história. O lugar é lindo demais!

Após, na casa da Família Marcon, onde alimentamos as ovelhinhas e no galpão conhecemos objetos que eram utilizados para o plantio do milho e manejo dos animais. Enquanto provávamos as geleias e o suco de uva produzidos lá, a simpática Fátima com seu jeitão italiano, nos contava as histórias de sua família.

Ah, e chegou a hora de provar a “água que passarinho não bebe”. Paramos no Alambique Rossa, pra degustar e aprender sobre a arte de produzir cachaça, graspa e vinho. Esse lugar tem um lago lindo demais de plano de fundo. As paisagens que você verá nesse passeio são singulares!

A última parada e mais gostosa, por motivos que entenderá, é na casa centenária em estilo enxaimel da Família Barreta. Aí se toma um belo café colonial, uma mesa farta com verdadeiros produtos coloniais, preparados com carinho pela família que nos recebe: bolos, cucas, pães, queijos, salames, nata, geleias, pastéis, chá, cafezinho… tudo delicioso. Lá pelas tantas, o gaiteiro abriu o fole e cantou músicas regionais agitando a turma, clima geral de descontração!

Terminado o café, a bordo da Princesinha, viajamos de volta para o tempo atual, chegando em Gramado pelas 18h. Adorei e faria de novo!

Dependendo do dia da semana e disponibilidade, há outros dois roteiros nesse mesmo estilo: o Tour O Quatrilho e o Tour Linha Ávila, que te levam pra outras partes do interior e oferecem diferentes atividades e valores. Veja no site.

Você já pode ficar pelo centro de Gramado mesmo, fazendo um tempinho, que nesta noite a ideia é fazer um programa cultural. Já ouviu falar no Korvatunturi?

É um espetáculo de primeiro mundo e permanente criado aqui na cidade, o que nos enche de orgulho! Uma mistura de arte circense (de arrepiar), música, coreografia, lindos figurinos e performances de um elenco cheio de talento!

Você é conduzido por um mundo de magia, pelo simpático e divertidíssimo povo da floresta, que tem a missão de proteger a árvore da vida, que se nutre da força do amor e do bem dos humanos. Não vou contar o show em detalhes, pra não estragar a sua vez, mas posso adiantar que é maravilhoso, que a mensagem transmitida é emocionante e que agrada a todas as idades! Na última vez que fui, o Rafa, meu sobrinho de quase 2 anos estava junto, achei que iria se assustar em alguns momentos, e bem pelo contrário, amou, ficou vidrado sem piscar durante os 70 minutos de espetáculo. E ainda dançava no embalo da trilha do sonora. Sim, já fui várias vezes, porque sempre levo quem vem me visitar lá! E toda vez aproveito, com o mesmo prazer, aqueles preciosos momentos lúdicos, nos quais você aperta o botão off e viaja conduzido pelo elenco!

O espetáculo começa às 19h30, mas a recomendação é que chegue pelo menos 30 minutos antes, na entrada tem Pipoca Gourmet pra degustar. Ah, e como não é permitido fotografar durante o espetáculo fizemos uns cliques antes e depois.

Você sairá do Korvatunturi pelas 21h, e como a esta altura do campeonato, o café colonial lá do Tour Rural já era, minha sugestão é retornar a Canela e fazer um pit stop no Piazza. É uma pizzaria muito tradicional, uma das primeiras da região, que fica numa esquina privilegiada bem na entrada de Canela.

Eles tem rodízio e se você não é do Rio Grande do Sul, se surpreenderá com a quantidade de sabores que oferecem (são mais de 100 entre salgadas e doces) e, além disso, tem algumas criações regionais como a Campeira, Coração e Paçoca de Pinhão. Uma mais gostosa que a outra. Agora se sua fome não for pra tanto, faça como a gente. A Fê conta em detalhes outro tipo de serviço que disponibilizam e o que provamos lá:

“Se você estiver afim de um “happy hour” a qualquer hora, um lugar bacana é o Piazza, que oferece um delicioso rodízio de pizza. Nós apostamos na Torre de Chopp e nos petiscos. Adoramos o Bolinho de Feijoada, super bem recheado com couve e bacon, diferente do que encontramos por aí, e o Bolinho de Paçoca de Pinhão, algo bem regional e delicioso! E claro, não poderíamos deixar de provar a pizza cortada xadrez, no melhor estilo boteco. Já que a ideia era petiscar, resolvemos escolher sabores não convencionais, o de filé com batata palha e a sugestão do evento Sabores de Canela, charque, gorgonzola, cebola caramelada com um toque de canela. Surpreendente!”

E com toda a qualidade, os preços da comida e da bebida são justos. Sou fã de carteirinha! Na frente tem um deck com vista para a rua principal de Canela e, especialmente no verão, é delicioso ficar ali tomando uma cervejinha com os amigos e petiscando no melhor estilo dolce far niente! Ah, e se estiver com preguiça de sair, eles tem delivery.

Roteiro IV – (sugestão para domingo, quarto dia)

Nesse dia você ficará inebriado de vistas espetaculares! Temos um lindo domingo pela frente e você precisará de carro para esses deslocamentos! No fim do post vou deixar o contato de uma empresa da região, a Bah Locações, que aluga carros, caso necessite.

Pela manhã acorde cedo e vá para o Ecoparque Sperry e já adianto que você almoçará lá mesmo, no restaurante Bêrga Mótta. Esse programa casado é imperdível! O almoço isenta o pagamento da entrada, para acessar o parque. Logo que chegar já peça pra reservar sua mesa, pois como o restaurante abre somente sábados, domingos e feriados, em dias ensolarados sempre lota, ou ainda, reserve com antecedência. Ele está localizado no Vale do Quilombo, no interior, a 5km de Gramado e 10km de Canela.

O parque, que se dedica a preservação ambiental, tem 20 hectares de Mata Atlântica. Logo que chegar, verá uma linda área verde e no verão, os pés de bergamota ficam carregados de frutas. Lá é possível deitar na grama e esquecer da vida! Vá também preparado para andar e explorar as trilhas de fácil percurso, que te conduzem a cachoeiras, riachos e cânions, cenários naturais exuberantes. A extensão das trilhas é de 2km e a duração média do percurso é de 1 hora. É um lugar abençoado, cuidado com muito empenho pela Família Sperry. As fotos sinalizadas (***) foram gentilmente cedidas pelo Leandro Sperry, pois no dia que fomos para esse fim estava chovendo, então ficamos pelo restaurante.

***

***

Após explorar o parque, é hora de almoçar. Sou fã do Chef desse restaurante, que também realiza muitos eventos pela cidade. A comida dele é fresca, saborosa, daquele tipo que deixa um registro na memória. Ele utiliza ingredientes orgânicos e coloniais e tem uma linda horta que está de plano de fundo do ambiente, que é rústico e aconchegante.

A Fê te conta o quão bem passamos lá:

“Um restaurante não tão turístico, mas muito famoso é o Bêrga Mótta, comandado pelo Chef Guilherme Sperry. As delícias são servidas num buffet, no estilo comfort food, é comida caseira com toque de Chef. Sobre um fogão a lenha os pratos borbulham e deixam um aroma irresistível no ambiente.

Um dos pratos que sempre tem no almoço é a sobre-paleta suína com cebola caramelada e gorgonzola, o mais famoso da casa, só não coma se a sua religião não permitir, pois te garanto que vai adorar. Eu me apaixonei pela carne de panela com aipim da vizinha, repeti duas vezes, mesmo não tendo mais espaço no estômago. Além disso, tinha tortéi ao molho funghi, risoto de moranga com costela, frango assado na cerveja preta, polenta cremosa e um buffet de saladas enorme e sortido. Uma mesa cheia de folhas, grãos, tubérculos grelhados, fritos e molhinhos para temperar tudo isso. Ah e tem um pão de uva, isso mesmo, feito com farinha de uva, que tem que provar.

Bom, se você acha que acabou por aqui, se enganou, pois o buffet de sobremesas é coisa de outro mundo. Tem brigadeiro de colher, pudim, doce de abóbora com coco fresco, sagu com creme, ambrosia, delícia de banana, mas para mim o campeão é o mousse de doce de leite com brownie, sério, um pecado que vale!”

Bah, deu água na boca né?! Não posso nem lembrar desse mousse! Além de todas as delícias, adoro também o bolinho de arroz com banana e canela que servem de entrada e o suco de bergamota colhida do pé. Prove, prove tudo que conseguir na verdade!

Após o almoço, tem um espaço externo com redes pra fazer um relax, mas não descanse muito, porque temos uma tarde cheia pela frente. A essa altura você já deve ter ouvido falar da Cascata do Caracol, cartão postal de Canela. É uma queda d’água de 131 metros e se você realizou o Roteiro I, passou por lá no Bustour.

É possível apreciá-la, assim como seus arredores de mata fechada, de duas formas: do próprio Parque do Caracol ou fazendo um passeio nos Bondinhos Aéreos. Vou te mostrar as duas vistas aqui. Minha sugestão é que comece pelo Bondinho, que é um passeio rápido, e depois vá para o Parque pra ficar curtindo o restinho da tarde.

Os Bondinhos estão a 500 metros do Parque do Caracol à esquerda, tudo é bem sinalizado por ali. O local é organizado e os equipamentos novos, com tecnologia Suíça. Você adquire seu ingresso e vai para as alturas. O percurso tem 840 metros no total. Primeiro você sobe até a Estação Animal, onde é possível descer e realizar algumas trilhas em meio a mata. Além disso, tem o Espaço das Esculturas que Falam, com obras do artista japonês Masaharu Hata, trata-se de cerca de 85 esculturas de animais talhadas em madeira que, com o toque de um bastão também de madeira, reproduzem o som do animal. Nós testamos e dá certo!

Quando quiser, pode embarcar de volta (fique ligado que o embarque é em movimento), e desta vez o bondinho passa da Estação Central e te leva um pouco mais pra baixo, até a Estação Cascata onde tem um mirante. E, por fim, você retorna a Estação Central. Durante todo o percurso é possível tirar lindas fotos! Vai perceber que fomos nos parques em dias diferentes, pois o tempo no dia dos Bondinhos não estava adequado para o Parque do Caracol. Mas a neblina deu uma vibe especial para o visual deste dia.

Saindo dali, vá para o Parque do Caracol. Você encontrará uma boa infraestrutura com lancheria, banheiros, lojas, churrasqueiras, Centro Ambiental, pracinha e tem até um passeio de trenzinho para a alegria das crianças. Aí também é um ótimo lugar para um piquenique! A visão geral do local não é ampla, são vários caminhos que te levam a diferentes trilhas ecológicas e ao mirante principal. É uma delícia fazer essas trilhas em meio as árvores ouvindo o canto dos pássaros, a vegetação é exuberante! A das Corredeiras te leva ao arroio que dá origem a cascata. Relax total, dependendo da lotação do dia, claro!

Além do mirante, onde a visibilidade é bacana e consegue-se tirar ótimas fotos, é possível descer no pé da cascata por uma escadaria de 730 degraus. Mesmo para os mais preparados é puxado, mas vale a pena! No momento a escada está em manutenção, ainda sem previsão de término.

Ainda tem mais uma forma de ver a Cascata, do Observatório Ecológico ali pertinho do mirante (pago à parte). O acesso é por um elevador panorâmico, que te leva a uma plataforma de 27 metros e lá do alto você tem um visão de 360 graus, é possível ver longe e as copas das árvores formam um tapete verde, é lindo!

Retornando a Canela, nossa sugestão para o jantar é o Santê Bistro. Delícia de lugar, aconchegante, decoração rústica e descolada e o som é escolhido a dedo pelo Chef, normalmente os clássicos do rock. O atendimento é familiar e tudo é preparado na hora, fresquíssimo.

Os mais indecisos perdem um tempinho na escolha dos pratos porque o cardápio te oferece muitas opções. Tem uma seção “sabores do mundo”, onde você pode viajar por 10 países, do Uruguai ao Japão. Tem os clássicos com filés, massas e risotos e é possível petiscar ou ainda comer um hambúrguer, sanduíches ou tomar uma sopinha. Tem alternativas pra todos as fomes e gostos, então certamente agradará a toda a família.

Os pratos são todos super servidos e muito bem temperados pelo Chef, que tem personalidade. Outro diferencial do local são as pimentas, para os aficionados o lugar é ideal, pois trazem um leque de opções bem quentes na mesa. As cervejas artesanais também são outro destaque, porque eles procuram trazer sempre as novidades aqui da região. Peça ajuda a quem te atender e prove alguma diferente!

Nesse dia nossa Chef Fê não pode nos acompanhar, então eu te conto o que provamos. Eu escolhi viajar para a Tailândia, porque não sou boba (rsrsrs), fui de Khao Pad Sapparod, arroz frito com camarão, abacaxi, cenoura, pimenta, tomate e shoyu. Pensa num prato delicioso, com um contraste de sabores que instiga o paladar.

Minha irmã, a Angélica aqui do blog, dá voltas e sempre pede o Fettuccine ao molho 4 queijos com tiras de filé, o deles é bom demais, você sente mesmo o sabor dos queijos.

Minha mãe que estava conosco, pediu um Filé com geleia de pimenta e risoto de queijo, delicioso!

E pra fechar com chave de ouro pedimos o irresistível Petit gateau, com calda de chocolate e sorvete.

Outro “tchan” é a linda apresentação dos pratos, você come com os olhos. Nosso muito obrigada a querida Cintia e ao Chef André, que nos recebem sempre tão bem! E o bacana é que devido ao horário de funcionamento, você pode almoçar ou ainda lanchar, quando tiver uma brecha nos seus passeios.

Ah, e como não poderia faltar, aqui também temos uma dica preciosa para o seu piquenique no parque. Se você for em algum armazém ou supermercado, talvez terá a sorte de encontrar os deliciosos bolos, tortas e palhas italianas (minha perdição) da Bombolinho. Eles são preparados com todo o carinho e talento pelas proprietárias da marca, a Carina e a Vera. Elas estão sempre viajando e trazendo receitas divinas de todo o mundo. E como os bolinhos viajam comigo quando vou visitar a família, sempre tem encomenda, já são conhecidos da turma. Então, como não deu sol em Canela na última vinda da equipe do VS e todos queriam Bombolinho, acabamos encomendando e “improvisando” um chá da tarde na Pousada Encantos da Terra. É muito pretexto pra comer, não é?! Mas valeu, estava maravilhoso! A Fê conta o que provamos:

“Se a ideia é fazer um piquenique num dia de sol na Serra ou improvisar um chá da tarde no friozinho, como nós fizemos, escolha as delícias mais que especiais da Bombolinho. Nós experimentamos o Bolo holandês de cenoura, nozes, gengibre, cravo e canela, pense num sabor equilibrado e único, tudo na medida certa, uma ótima opção também para o seu café da manhã.

E a Torta de limão, sem dúvida uma das mais saborosas que já provei, leve, cremosa e com limão na medida.

Combinamos essas maravilhas com chá, café e mais uma vez, espumantes Adolfo Lona. Esses bolos gourmet também são uma excelente alternativa pra levar de presente, fazendo um agrado certeiro a quem se gosta!”

Todos são gostosos, mas eu amo o Brownie de chocolate meio amargo, o Butter cake (bolo americano de manteiga que derrete na boca, exclusividade do inverno), o Bolo holandês e o de cenoura com cobertura de chocolate. Todas as terças e sextas elas entregam produtos fresquinhos nos pontos de vendas que vou listar abaixo, em Gramado e Canela. Se quiser encomendar tortas e docinhos, deve ser com 2 dias de antecedência pelas redes sociais, nesse caso entregam onde você estiver hospedado.

Bom gente, Gramado e Canela é isso! Uma combinação incrível de belas paisagens, múltiplas atrações turísticas, gastronomia de altíssima qualidade e de um povo acolhedor! E de uma coisa tenho certeza, pois ouvi durante anos dos meus hóspedes, você será muito bem recebido aqui! Agora só falta escolher sua estação do ano preferida para vir nos visitar, cada uma tem seu charme! 😉

Espero que tenha gostado das sugestões de roteiros, qualquer dúvida me pergunte! E logo estará no ar mais um post de Gramado, ideal pra quem curte praticar atividades físicas ao ar livre! Está demais, então continue nos acompanhando! 😀

LEIA MAIS:

QUE TAL CONHECER GRAMADO E CANELA FUGINDO UM POUCO DO ÓBVIO? | PARTE I

EXPLORANDO A SERRA GAÚCHA COM CRIANÇAS

GRAMADO AO AR LIVRE, PARA OS AMANTES DE ATIVIDADE FÍSICA – POR MARIA CRISTINA SCHOKAL

COLABORAÇÃO:

Secretaria Municipal de Turismo – Município de Gramado

(54) 3286-0228 | Gramado Inesquecível

Secretaria Municipal de Turismo e Cultura – Município de Canela

(54) 3282-1287 | Canela Paixão Natural Facebook 

Casa da Velha Bruxa

Avenida Borges de Medeiros, 273, Centro – Gramado/RS

(54) 3286-1551 | Instagram

Funcionamento: segunda das 14h às 22h | de terça a domingo das 11h30 às 22h.

Tour Rural

Casa do Agroturismo – Praça das Etnias – Gramado/RS

(54) 3286-6787 | 98122-0909 | Facebook

Ingresso: a partir de R$ 120,00.

Vento Sul Turismo (responsável pelo Tour Rural e oferecem outros passeios)

Avenida das Hortênsias, 542, Planalto – Gramado/RS

(54) 3905-4100 receptivo|98122-0800 plantão| ventosul@ventosulturismo.com.br | Facebook | Instagram

Korvatunturi

Centro de Eventos da FAURGS – Rua São Pedro, 663, Centro – Gramado/RS

(54) 3286-7325 | 3286-0640 | 99917 0218 | lilian@korvatunturi.com.br | Facebook | Instagram

Ingresso: a partir de R$ 99,00.

Piazza

Avenida Osvaldo Aranha, 509, Centro – Canela/RS

(54) 3282-1555

Funcionamento: diariamente das 18h30 a meia noite.

Ecoparque Sperry

Linha 28, Estrada Professora Elvira A. Benetti – Vale do Quilombo – Canela/RS – acesso principal localizado na RS-235 entre Gramado e Canela (na esquina do Outlet Sierra e Chocolates Prawer)

(54) 99629-8765 | Facebook | Instagram

Funcionamento: de terça-feira a domingo das 9h às 17h – aberto durante todo ano.

Ingressos: adulto R$ 15,00 | crianças de 6 a 12 anos R$ 7,50.

Bêrga Mótta (mesmo endereço do Ecoparque Sperry)

(54) 99625-9854 | guilherme.sperry@yahoo.com.br | Facebook | Instagram

Funcionamento: sábados, domingos e feriados das 12h às 15h.

Valor do almoço: R$ 68,00 (isenta o pagamento do ingresso do parque) – não aceitam cartões de crédito ou débito.

Bondinhos Aéreos

Estrada da Ferradura, 699, Caracol – Canela/RS

(54)3878-3250|3878-3251|3504-1405|99206-1225| contato@parquesdaserra.com.br | Facebook | Instagram

Funcionamento: diariamente das 9h às 17h.

Ingresso: adulto R$ 42,00 | crianças de 6 a 12 anos R$ 21,00 | Sênior (acima de 60 anos) R$ 21,00

Parque do Caracol

Estrada RS 466, Km 0 – Canela/RS

(54) 3278-3035 | parquedocaracol@canela.rs.gov.br | Facebook

Funcionamento: diariamente das 9h às 17h30.

Ingresso: adulto R$ 20,00 | meia entrada R$ 10,00 (crianças de 6 a 11 anos, estudantes e idoso acima de 60 anos)

Observatório Ecológico – Parque do Caracol

observatorioecologico@hy.com.br

Funcionamento: diariamente das 8h45 às 17h45.

Ingresso para o observatório: adulto R$ 12,00 (crianças até 8 anos isentas acompanhadas dos pais).

Santê Bistro

Rua Felisberto Soares, 65, Centro – Canela/RS

(54) 3282-6353 |santebistro@outlook.com | Instagram

Funcionamento: de terça a domingo das 11h30 às 23h.

Bombolinho

Facebook | Instagram

Pontos de venda centrais:

Mercado Parmegiani – Avenida Borges de Medeiros, 3485, Centro – Gramado

Supermercado Berti – Rua São Pedro, 835, Centro – Gramado

Armazém Gallas – Avenida das Hortênsias, 845, Centro – Gramado

Fruteira Dapper – Rua Melvin Jones, 127, Centro – Canela

Adolfo Lona

ADEGA EM GARIBALDI / RS

Rua Amazonas, 373, São Francisco | (54) 3462-4014/4124

ESPAÇO / LOJA EM PORTO ALEGRE / RS

Rua João Abott, 721, Petrópolis|(51) 3022-4495|comercial@adolfolona.com.br| Facebook | Instagram

REFERÊNCIAS:

Casa do Colono – Praça das Etnias

Funcionamento: diariamente das 9h às 18h30.

Fornos dos Colonos – Praça das Etnias

Funcionamento: de sexta a segunda das 8h às 20h e durante o Natal Luz diariamente.

Bah Locações e Turismo (para locação de carros)

(54) 9914-4848 | 8144-8304 | 99973-0390 | contato@bahlocacoes.com.br | Facebook | Instagram

Alecrim Santo

Avenida das Hortênsias, 1377, Centro – Gramado/RS

(54) 3286-0689 | Instagram

Funcionamento: de quarta a segunda das 11h30 às 15h.

Mix Saudável

Avenida das Hortênsias, 2112, Centro – Gramado/RS

(54) 3295-1224 | Facebook | Instagram

Funcionamento: de segunda a sábado das 11h às 19h

Por Aline Maldaner

Deixe um comentário