BALADINHAS EM CUSCO? SIM, TEMOS!

28.07.2017 | Cusco, Destinos, Explorando as Cidades, Peru, Vida Noturna

A primeira associação que fazemos quando falamos em Cusco é que trata-se do lugar onde devemos desembarcar para ir até Machu Picchu. Porém essa linda e charmosa cidade, cheia de história, arquitetura, sabores, gente alegre e hospitaleira nos surpreendeu e conquistou. Andando pelas ruas é possível ouvir diversos idiomas, pois todo o mundo quer conhecer Machu Picchu e passa por ali. Pra quem curte viajar e ter contato com pessoas de outros países é o lugar ideal, uma vibe incrível!

É fato que teríamos nos programado pra ficar mais alguns dias se soubéssemos que era tão legal. Há muito o que fazer de dia e à noite, e vários sítios arqueológicos ali por perto para explorar, programação super intensa! A Elisa contou tudo que fizemos por lá no Roteiro Cusco e Machu Picchu – Parte I.

À noite além de ótimos restaurantes pra jantar, há muita diversão! Você encontrará pubs ao redor da Plaza de Armas, a praça principal, festas animadas em hostels e vários lugares pra dançar.

Dica Volto Segunda

Por indicação nos hospedamos no Milhouse Hostel e recomendamos com toda a certeza. Um dos motivos da nossa escolha foi o bar, que realmente é um ponto alto. Como durante o dia todos estão passeando é praticamente um ritual chegar, tomar um banho e ir para o bar pra bebericar e conhecer gente. Encontramos pessoas de vários lugares e fizemos amizades, inclusive com uma turma grande do Brasil. Afinal, estamos em todas. 😀

O ambiente é de total descontração, há jogos como o Beer Pong valendo drinques, música buena e as bebidas tem um preço acessível. A cerveja Cusqueña grande, por exemplo, custa 10 soles e em determinados horários, tipo das 20hs às 22hs, rolam promoções (2 cervejas por 15 soles). Experimentamos também um trago tradicional que curti, o Chilcano (pisco, suco de limão, ginger ale e gotas de angustura). Você certamente ouvirá falar dele em Cusco. A galera fica pelo bar, normalmente, até umas 2hs e depois quem ainda tiver disposição, segue para as danceterias.

O bacana, é que o pessoal que trabalha no hostel sempre sabe qual é a boa da noite e fornece pulseirinhas vip, então não pagamos pra entrar em nenhum lugar. O point favorito deles era o Chango.

Como tivemos só 3 noites em Cusco, curtimos mais o Chango e o Mama Africa pra dançar, mas chegamos a conhecer outros lugares que vou mencionar. Na primeira noite ficamos só pelo bar do nosso Hostel, porque estávamos nos adaptando a altitude (leia mais em Informações básicas Cusco e Machu Picchu – Planejando seu Roteiro) e porque no outro dia, tínhamos um tour cedinho e na sequencia já pegávamos o trem para Águas Calientes, rumo à Machu Picchu. Uhuuuulllll!

O Mama Africa Club fica numa das esquinas da Plaza de Armas e foi a balada que mais curti, pelo público bacana. O lugar é bonito, com boa estrutura e nas paredes grafites legais com temas africanos. E o mais importante, a pista de dança é animadíssima com som variado, predominando o eletro funk e a eletrônica. Você pode até se aventurar e subir no balcão pra uma performance. 😉 Vale consultar a programação, porque em algumas noites pelas 21hs há aulas de salsa e outros ritmos latinos. Dá pra treinar uns pasitos!

O Chango Club era a danceteria preferida da galera do hostel. Fomos lá duas vezes, então pra fechar a conta do número de noites x festinhas em Cusco, terminamos aí depois do Mama Africa de novo. Balada underground, inclusive o lugar é num subsolo. O ambiente é grande com pista de dança, alguns camarotes e um bar. A cerveja custava em média 10 soles e sempre tinha promoções de drinques. O público é beeeem diversificado, acho que nunca mais vou encontrar alguém na balada com arco e flecha nas costas, rsrsrsrsrs…  nos divertimos muito!

Cusco tem uma energia bem despretensiosa. A impressão que dá é que as pessoas estão vivendo uma realização ou aventura pessoal, livres de preconceitos, dispostos a conhecer outras culturas e cada um curte pra valer, na sua vibe.

Entramos em outros dois lugares rapidamente pra conhecer: no InkaTeam e no The Temple Club. A estrutura de ambos é bacana, mas no Mama Africa e no Chango sempre tinha mais gente.

Saiba que tem várias outras baladinhas! \o/

Nos indicaram conhecer o Wild Rover Hostel, onde tem festas e um Irish Pub muito legal. Também na Plaza de Armas nos chamou atenção o Paddy’s Irish Pub, parece outra boa opção, mas infelizmente não deu tempo de conhecer. Então se for lá me conte depois, fiquei na vontade!

A boa notícia é que a maioria das alternativas pra sair à noite estão em torno da Plaza de Armas e ruas adjacentes, assim dá pra conferir o que está rolando e escolher a que mais te agradar. É fácil andar e localizar-se em Cusco. Fomos pras festas de carona com a turma do hostel e na volta, por causa do frio, pegamos táxi que é bem baratinho.

Fique Atento Volto Segunda

Ah, é importante saber que faz bastante frio lá à noite, então leve roupas quentinhas. Já dentro dos lugares a temperatura fica agradável.

Não disse que dava pra ficar mais tempo em Cusco? Isso que estou falando só da programação noturna… De qualquer forma, passamos muito bem e ficamos com aquele gostinho de quero mais. Quem sabe um dia nos encontramos por lá! 😀

Espero que se divirta com essas dicas!

Até a próxima!

LEIA MAIS:

INFORMAÇÕES BÁSICAS CUSCO E MACHU PICCHU – Planejando seu Roteiro

ROTEIRO CUSCO E MACHU PICCHU-PARTE I 

ROTEIRO CUSCO E MACHU PICCHU – PARTE II

INFORMAÇÕES BÁSICAS LIMA

ROTEIRO DE 3 DIAS EM LIMA

O QUE FAZER A NOITE EM LIMA

MISSÃO EMPRESARIAL BRASIL PERU

Por Aline Maldaner

Deixe um comentário

4 comentários em “BALADINHAS EM CUSCO? SIM, TEMOS!”

  1. Debbynha Silva disse:

    que legal o relato de vcs.. gostaria de saber se a vestimenta é tipo do brasil pra noite?
    bjs

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Oi Debbynha, tudo bem? O dresscode é bem casual, pois a maioria das pessoas são de hostel e tem um estilo mais despojado. Lá é bem fresquinho a noite, mas dentro dos lugares pode ficar quente. O ideal é algo prático que possa ser amarrado na cintura e facilitar a dinâmica. 😉

  2. Dúvidinha disse:

    Oii, o relato de vcs foi ótchymo. Uma dúvida, o rolê mais underground do Chango rola alguma droguinha? rs E uma eletrônica? E sabem de rave em Cusco?