BOGOTÁ: A CAPITAL DOS COLOMBIANOS

06.03.2017 | Bogotá, Colômbia, Destinos, Viagens Curtas

Oi gente, tudo bem?

Já falamos muito aqui no blog sobre a Colômbia! Nossa paixão por este hermoso país fica cada vez mais evidente. 😉

Recentemente tivemos, finalmente, a oportunidade de conhecer a capital e maior cidade colombiana. Diferente das populares Cartagena e San Andrés, Bogotá é um destino mais urbano e de negócios. Atualmente é a 4a mais populosa cidade da América do Sul, superada somente por São Paulo, Rio de Janeiro e Buenos Aires. É também a 3a capital de maior altitude do mundo (2.640 metros acima do nível do mar), o que dá um charme especial para a cidade.

Aqui você encontra algumas informações básicas que podem ser úteis, caso Bogotá esteja nos seus planos. Nos próximos posts contamos detalhes do que conhecemos por lá.

Língua oficial: espanhol.

Localização: situada na parte central do país. É capital da Colômbia.

Quanto tempo é necessário para conhecer: ficamos 3 dias em Bogotá, tempo suficiente para visitar os principais pontos turísticos da cidade e região.

Documentação necessária: brasileiros que viajam a turismo não precisam de visto e nem mesmo passaporte. Podem entrar no país portando apenas identidade com foto atualizada (máximo 10 anos). Dependendo da sua conexão, é possível que você necessite do passaporte e da carteira internacional de vacinação contra a febre amarela.

Como chegar: de avião. Pode-se fazer uma média de 7 horas de viagem, saindo de SP, por exemplo. O aeroporto El Dorado é perto do centro histórico da cidade, cerca de 15km. Quanto ao tempo, tudo depende do horário e trânsito, como qualquer capital e cidade grande.

Cias aéreas que fazem o trajeto: Avianca, Latam e Copa Airlines.

Melhor época para ir: não existe uma época ideal para conhecer Bogotá. As chuvas são dispersas por todo o ano e a temperatura sofre pouca variação, de dia chega a 24 °C e a noite a 15°C. Na Colômbia, as variações climáticas não obedecem às estações do ano, mas à altitude, onde a temperatura costuma baixar aproximadamente 6°C a cada 1.000 metros de altitude. Quando se está no nível do mar, a temperatura gira em torno de 30°C.

Moeda local: peso colombiano. Cartões de crédito são amplamente aceitos. Você pode levar dólares e trocar pela moeda local nas casas de câmbios do centro, onde se encontram as melhores taxas. Vale ressaltar que as taxas de câmbio em aeroportos normalmente não são as mais vantajosas, por isso indicamos que procure as do centro. Evite fazer câmbio com pessoas na rua. Para compras no comércio local, é mais recomendado que se use pesos e alguns estabelecimentos não aceitam dólares.

Onde ficar: as áreas mais interessantes para se hospedar são a zona central, Candelária, onde está o centro histórico, e a Zona Norte. O bom da Candelária é que você está muito próximo das principais atrações como Museo BoteroMuseo del OroMuseo de la EsmeraldaCasa de la MonedaCatedral Cerro Monserrate. Porém fique atento que a noite a região fica mais deserta. É preciso tomar o mesmo cuidado que se tem nas grandes cidades do Brasil. Optamos por ficar no Bogotá Plaza Summit Hotelpois conseguimos uma super promoção. Fica na Zona Norteacima de Chapinero.

Transporte local: o trânsito é intenso e considerado mais pesado do que o de São Paulo – lá também existe rodízio de carros. O sistema de ônibus é bastante eficiente e é conhecido como Transmilenio. Foi inspirado no sistema de Curitiba e os veículos circulam por uma via expressa. Além disso, você paga uma só viagem e pode fazer diversas conexões pela cidade. Os táxis são baratos e limpos. Opte pelos oficiais (amarelos) pois são mais seguros. Existe a opção de usar busetas (ônibus pequenos) também. Mas considere seriamente alugar uma bicicleta, há muitas ciclovias em Bogotá. Uma boa pedida é pedalar nos finais de semana, pois existem avenidas destinadas exclusivamente para ciclistas. Mas cuidado com o trânsito, evite horários de pico para locomover-se entre um local e outro, pois pode atrasar seus planos.

Segurança: Bogotá já foi considerada uma das cidades mais perigosas do mundo, em função do tráfico de drogas e as FARCS. Porém, nos últimos 15 anos houve uma revolução no departamento de segurança. O exército foi colocado nas ruas, os salários foram aumentados, a corrupção na polícia foi combatida com uma seleção rígida. Acordos de paz foram estabelecidos com as FARCS e cada vez mais jovens aderiram a vida militar como carreira, o que por sua vez aumentou o número de policiais na rua.

Voltagem: 110v e as tomadas de Bogotá normalmente possuem dois pinos chatos. Leve adaptador universal de tomadas.

Fuso horário: -2h de Brasília

Expressões locais: para arrasar na comunicação, aqui vão algumas expressões comuns e informais dos colombianos:

Porfa: abreviação carinhosa de “por favor”;

– Man: eles usam “man” no lugar de homem ou cara, a toda hora, é bem engraçado;

– Parce: abreviação de Parceiro, a galera nova usa isso a toda hora, seja pra chamar os amigos, como pra quem acabaram de conhecer;

– Chévere: esse é um clássico colombiano, significa que algo é legal, massa, show.

Saiba mais sobre Bogotá nos próximos posts. Aguarde! 😉

LEIA MAIS:

COMO CONHECER BOGOTÁ EM 3 DIAS

BOGOTÁ: A CIDADE DE VÁRIOS SABORES

O QUE FAZER A NOITE EM BOGOTÁ

Por Maria Elisa Tartoni

Deixe um comentário

4 comentários em “BOGOTÁ: A CAPITAL DOS COLOMBIANOS”

  1. Izabella disse:

    Oi, vc teve problemas em usar seus aparelhos bivolts??

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Oi Izabella, tudo bem?

      Não tive problema algum, levei chapinha bivolt e funcionou perfeitamente. Vale lembrar que a voltagem é 110v e as tomadas de Bogotá normalmente possuem dois pinos chatos. Leve adaptador universal de tomadas.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço 😉

  2. Carolina Botto disse:

    Olá!
    Sabe informar detalhes sobre a questão do ISS de 19% que os hotéis costumam cobrar quando da reserva de hospedagem? Observei que, aparentemente, é um tributo devido aos residentes da Colômbia mas não achei informações mais precisas quanto a isso…

    Desde já, agradeço.

    Att.,
    Carolin

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Oi Carolina! Não saberia te responder. Minha sugestão é entrar em contato com um agente de viagens. Depois nos conta 😉 Abraços!