COMO CONHECER BOGOTÁ EM 3 DIAS

07.03.2017 | Bogotá, Colômbia, Destinos, Explorando as Cidades, Viagens Curtas

Chegamos em Bogotá direto de uma aventura maravilhosa pelo Peru, onde visitamos Lima, Cusco e Machu Picchu. E como sempre queremos super aproveitar as férias, engatamos a capital da Colômbia como gran finale. A cidade é grande, são 7.800.000 habitantes, com os bônus e ônus que as metrópoles com economia aquecida oferecem. Há muito o que conhecer, a maioria dos lugares históricos, feirinhas e pontos turísticos principais, você consegue conhecer em 3 ou 4 dias… mas se aprecia história e arte, é possível que role uma ansiedade com o pouco tempo.

Dá pra passar um dia inteiro só visitando o Museu do Botero, que na verdade é um complexo cultural, e o do Ouro que é o mais importante do mundo na categoria. Além desses lugares serem incríveis, historiadores com muito conhecimento e paixão pelo que fazem te acompanham nas visitas, e posso afirmar que não dá vontade de ir embora.

Existem muitas praças e parques verdes pra visitar e extensas ciclovias, as ciclorutas. Há dezenas de quilômetros destinados aos ciclistas e nos domingos e feriados, esse número aumenta ainda mais, já que várias pistas são fechadas para o trânsito e ficam disponíveis pra eles e para os pedestres. Nos finais de semana os bikers andam aos bandos. Porém, infelizmente não tivemos tempo de curtir esse lado do cidade.

Os bogotanos, além de serem muito elegantes, sabem se divertir. A cidade é mega badalada, tem milhares de restaurantes, muitos deles com música ao vivo e pista de dança, shoppings, bares e danceterias. A área que está na moda no momento é a Zona Rosa, mas especificamente na seção denominada Zona T. Faremos posts exclusivos sobre gastronomia e vida noturna de Bogotá, fiquem ligados!

O povo em geral é super educado e culto, são ótimos na arte de receber bem o turista, extremamente gentis e não poupam esforços pra te passar toda a informação que puderem. Fiquei impressionada que em dois locais fomos recebidas por guias que falavam perfeitamente português e alguns que ainda não falam, nos contavam com orgulho que estavam estudando.

Todos te alertam, de uma forma bem enfática, sobre o que pode ser perigoso, como andar no centro a noite, mesmo de táxi. Ou pegar os que não são oficiais, na verdade tivemos um episódio bem desagradável nesse sentido que vou contar mais adiante. Adotam medidas de prevenção como trancar o hotel a noite e ter pelo menos dois seguranças na porta e anotar a placa de todos os carros que te buscam e levam. A Colômbia tem um histórico de violência especialmente em função do narcotráfico que acabou deixando uma “mancha” no país. Percebe-se que se preocupam bastante com isso e trabalham para promover a paz, fazendo eventos e campanhas na cidade, por exemplo. Como o exército está na rua fazendo o policiamento, nos sentimos muito seguras para andar, ao menos durante o dia.

Chegamos pelas 21h de uma quinta-feira, no Aeroporto El Dorado que está a 20 minutos da cidade, e ficamos até segunda, nosso dia oficial de voltar. 😉 Optamos por pegar um táxi da empresa Taxi Imperial, que custou 38.000 COP (=pesos colombianos) por pessoa, cerca de R$ 40,00.

Fique Atento Volto Segunda

Falando nisso, deve se levar em conta pra organizar a programação o trânsito pesado da cidade, especialmente nos horários de pico (das 7h às 9h e das 17h às 19h) é algo surreal! Existe um sistema de rodízio chamado “pico y placa”, o que infelizmente não evita que você fique horas parado. Uma boa opção para fugir do trânsito são os ônibus chamados de Transmilenio que circulam por faixas exclusivas.

Nos hospedamos no Bogotá Plaza Summit Hotel, um excelente 5 estrelas, ahhh quem não gosta né!? Ainda mais depois dos hostels e hospedarias roots de Cusco e Aguas Calientes. Ele está bem localizado, pois é perto do aeroporto, da Zona Rosa, da feira de Usaquén, de centros comerciais e parques, a desvantagem é que está longe do Centro Histórico e da maioria dos Museus.

É um hotel grande, com centro de convenções, academia, spa com jacuzzi (não deu tempo de curtir ela 🙁 ), bares e restaurantes. Os quartos são amplos, confortáveis e modernos, cheios de mimos como roupões, muitos amenities gostosos, ducha top, camas e travesseiros que te abraçam, e no check-in você ganha 2 welcome drinks pra tomar quando quiser nos bares do hotel. O café da manhã é delicioso, com muitas opções. O atendimento é excelente e conta com um serviço de concierge bem eficiente, a Diana além de nos ajudar a organizar nossos dias, passou seu whats app para qualquer necessidade.

Dica Volto Segunda

Adoramos o hotel! E sabe do que mais? Foi uma super barbada que conseguimos com a CVC Operadora, fechamos as passagens de toda a viagem e esse hotel, pois estava muito em conta, o valor foi equivalente ao que pagaríamos em um Airbnb (aplicativo para alugar apartamento de um local), que normalmente é a opção mais econômica. A CVC consegue câmbio privilegiado com algumas companhias aéreas e tarifas especiais com hotéis, o que pode ser mais vantajoso do que reservar direto ou através de sites como o Booking.com. Então pessoal, viajar com o melhor custo x benefício é = pesquisar muito. Aqui no Volto Segunda, sempre procuramos dar essas dicas.

Farei uma sugestão de roteiro pra conhecer a cidade (o principal) em 3 dias, claro que há muitas formas, talvez até mais otimizadas, de fazê-lo. O que atrapalha um pouco o timing é o trânsito, que deve ser levado em conta. No nosso caso, ainda tínhamos reserva nos lugares que queríamos conhecer a noite (que são mantidas até umas 21h), então acabávamos voltando para o hotel no fim da tarde.

Buenas, vamos explorar Bogotá então?

DIA 1 – Conhecer os principais Museus e o Centro Histórico

No primeiro dia, pegamos um táxi “especial” no hotel com o chofer Wilson Lopez, que acabou ficando nosso amigo e nos conduziu em algumas de nossas aventuras. Aprendemos bastante com ele sobre a cidade e seus arredores. O contato de whats app do Wilson é +57 315 8267674, caso queira agendar o transfer com ele é uma opção segura, com preço justo.

Pedimos pra nos deixar no Museu do Ouro. Antes da visitação, aproveitamos pra trocar dinheiro por ali, há muitas opções, recomendo ir em umas três delas para verificar o melhor câmbio.

O Museo do Oro, possui uma das mais importantes coleções de metalurgia pré-hispânica do mundo. Conta hoje com mais de 50.000 objetos de ouro e outros metais, cerâmica, pedra, osso, concha, madeira, têxtil e múmias de variadas regiões arqueológicas. Objetos de sociedades que datam de 500 ou até 2.500 anos atrás. A entrada custa somente 3.000 COP (R$ 3,15) e é “obrigatório” fazer um tour guiado. Se puder escolher a guia Natalia Osorio, é certo que terá uma aula incrível de história e uma experiência bem interativa. Circulamos por algumas das salas fazendo réplicas das esculturas em papel, sentamos no chão pra simular alguns rituais xamânicos (dos índios), foi incrível! Pena que, pelo tempo, não conseguimos acompanhar todo o tour. Olhamos as outras salas e seguimos nosso passeio. Lá também há exposições temporárias e um café. E realmente imperdível!

O Museo Internacional de La Esmeralda que está perto, foi nossa próxima parada. As esmeraldas colombianas são as mais famosas do mundo pela sua pureza e verde intenso. O museu não é muito grande, mas é possível conhecer o processo de formação das pedras preciosas. A vista da cidade do 23º andar do prédio onde está localizado vale a pena. Se quiser, também pode comprar uma legítima. 😉 A entrada custa 5.000 COP (R$ 5,30).

Fomos caminhando pela Carrera 7 até o Centro Histórico de Bogotá – La Candelaria. Essa rua Septima é a mais antiga é principal do centro, bastante movimentada e cultural com artistas e música, tornando o percurso divertido. Chegamos na Plaza de Bolívar, onde estava rolando um show em prol da paz, havia policiamento reforçado. Ao redor da praça, além da Catedral Primada, da Capilla del Sagrario e do Palacio Arzobispal está o Capitolio Nacional, um dos prédios mais fotogênicos do local que foi feito por, pelo menos, 5 arquitetos ao longo dos anos, onde reúne-se o Congresso.

Sente o clima do lugar:

Dica Volto Segunda

Muito importante! Numa das esquinas da praça está a Casa de Los Comuneros (=revolucionários que protestavam contra o governo por melhores condições), que na atualidade é sede da Secretaria de Cultura, Recreação e Esportes. Aí você vai pegar um ótimo mapa turístico e poderá agendar um tour guiado gratuito, feito a pé, por toda a Candelaria. Naquela sexta, em função do evento na praça, os tours estavam suspensos, então agendamos o nosso pra domingo no início da tarde.

Fizemos uma pausa pro almoço e seguimos para o Museu do Botero. No primeiro dia nos perdemos algumas vezes, pois as ruas são por números e fica um pouco confuso. Mas aprendemos rápido. 😉

O Museo do Botero, famoso pintor colombiano, está localizado em um complexo cultural, junto à Casa de la Moneda, ao Museo Militar, à outras salas com obras de variados artistas colombianos e exposições temporárias, e adivinha? O acesso é gratuito! Nosso guia gente boníssima, falava português e estava com vontade de praticar! Nos levou por várias salas para apreciar as obras de Botero – são mais de 180 dentre pinturas e esculturas doadas pelo artista ao governo do país – nos contando detalhes das suas preferidas, impressionante o seu conhecimento. O Artista afirma que não pinta gordinhos, mas sim formas volumosas, desproporcionais, monumentais e sensuais, pois acredita que a deformação é um jeito de transformar a realidade em arte. O complexo é sensacional!

Gente, o dia voou, só nos restou tempo pra ir até o Centro Cultural Gabriel García Marquez. Lugar ideal pra dar uma pausa, pois tem uma cafeteria Juan Valdez, um dos cafés mais famosos e gostosos do país. Então pausa pro café e mais cultura. No complexo, há uma livraria enorme e exposições temporárias. Também é possível tirar fotos legais da arquitetura assinada por Rogelio Salmona. Uma curiosidade, Bogotá tem 21 bibliotecas públicas, chamadas de Biblored.

Quando conseguimos contatar o Wilson (wifi da cafeteria não é dos melhores), até ele atravessar o centro no horário de pico demoraria uma eternidade, então fomos pra batalha dos táxis. Andamos quadras pra cima e pra baixo procurando um vazio e demoramos um tempão pra conseguir. Nota: não tente ir embora do centro na hora do rush.

Nessa noite fomos no Armando Records, em breve post no ar.

Dica Volto Segunda

  • Sempre consulte o site dos museus antes de fazer sua programação, pois normalmente eles não abrem em um determinado dia da semana.
  • Bogotá tem em média 58 museus, grande parte concentrada no Centro Histórico, então pesquise os de sua preferência.
  • Fiquei com muita vontade de conhecer o Museo Nacional de Colombia que todos falam que é incrível, mas não deu tempo. Se conhecer, me conte depois! 😉

DIA 2 – Visitar a Catedral de Sal em Zipaquirá e o Shopping El Retiro

A Catedral de Sal está a 1h30 de Bogotá em carro e é uma das principais atrações turísticas do país. A ideia de construí-la surgiu dos próprios mineiros em função de sua devoção a Jesus, eles mesmos executaram a obra que está dentro de uma mina de sal ativa no Pueblo de Zipaquirá.

Optamos por ir de transfer particular com o Wilson, pra ganhar tempo. Pagamos 170.000 COP, equivalente a R$ 180,00 (R$ 60,00 por pessoa), achamos ótimo, pois o passeio durou quase todo o dia.

Chegando lá você adquire seu ingresso, escolhemos o mais básico de 50.000 (R$ 53,00) que inclui o tour guiado pela mina, um show de luzes e som (bem mais ou menos) e um vídeo 3D que conta a história do local e do sal, que por ser informativo é bacana. Compramos também um passeio de trenzinho pelo povoado, por mais 4.500 COP (R$ 4,75), que ocorre ao término do tour. Há outros 6 tipos de ingresso mais completos, incluindo aventuras pela mina, escaladas, e outras atividades, tudo depende do seu tempo.

Imperdível Volto Segunda

Mais uma vez nosso guia era incrível e falava fluentemente português. O catedral foi inaugurada em 1995, é uma obra magnífica de arte e engenharia que realmente chama atenção pelas dimensões e “estranheza”. À caminho da parte central, onde fica a “cúpula” e a cruz principal de 16 metros de altura, você vai passando por esculturas de sal que representam a via crucis, várias cruzes de diferentes estilos e tamanhos construídas em túneis de oito metros de diâmetro e 120 de profundidade (cada um levou 1 ano pra cavar). É impressionante e ao mesmo tempo meio sinistro. Recomendo muito a visita, é algo bem único!

Há missa todos os domingos e no final do ano concertos musicais, deve ser lindo!

Quando terminou o tour assistimos às outras atrações que estavam inclusas. Existe também uma mina de esmeraldas, um espelho d´água com fundo de sal, é incrível pois a água some sob ele, um lindo paredão esculpido em madeira, lojinhas e lanchonete. Fizemos um lanchinho e seguimos para o passeio de trem.

Uma curiosidade, ainda há reserva de sal para 500 anos e são extraídas 400 toneladas por dia.

Nos apressamos pra pegar o próximo trenzinho e dar uma volta pelo povoado. Zipaquirá é pequena e simples, e como tal tem sua praça e igreja, algumas casinhas charmosas e é basicamente isso. Há alguns restaurantes rústicos para turistas com buffets livre a preços salgados. A economia gira em torno da mina de sal e do turismo.

Para evitar a hora do rush, que também acontece aos sábados, resolvemos “almojantar” em Bogotá. Mesmo assim, acabamos pegando trânsito intenso na volta.

Há outras duas formas de ir até a Catedral de Sal:

Em trem a vapor, que funciona nos finais de semana e feriados, sai as 8h15 e retorna as 17h30, custa 52000 COP por pessoa (R$ 55,00). Você tem que ir até a estação La Sabana e depois voltar pra onde estiver hospedado, além disso, o trem vai parando em algumas outras cidades. Acaba ficando mais tempo em uma chamada Cajicá, famosa pelos tapetes, do que em Zipaquirá. Saiba mais em Tren Turístico de La Sabana.

Ou então em ônibus de linha, o Transmilenio, pegando no terminal Portal del Norte até Zipaquirá, que pode ser a opção mais econômica, mas nesse caso é importante lembrar de toda a logística de deslocamento envolvida, tanto em Bogotá quanto no povoado. Vai te custar 2 horas pra ir e 2 pra voltar.

Ao chegar na cidade, pedimos pro Wilson nos deixar no Shopping El Retiro, próximo ao hotel. É um shopping grande e chique, dá pra ficar horas por lá. E logo em frente, está o Shopping Andino. Comemos, andamos um pouco e voltamos pro hotel, mais uma vez trânsito louco; nos arredores dos shoppings então, sem comentários.

Sábado foi a noite do Gaira Café, casa noturna do famoso cantor colombiano Carlos Vives.

DIA 3 – Conhecer a Feira de Usaquén, voltar ao Centro Histórico e visitar o Cerro de Monserrate

Como domingo é dia de feirinha, pela manhã fomos conhecer o centro comercial Hacienda Santa Bárbara, já no bairro de Usaquén. É um lindo casarão de fazenda, datado do século XIX e declarado monumento nacional em 1987. Além das lojas e artesanato, tem pracinhas com fontes, cafés, restaurantes, escritórios e até um hotel, o Hacienda Royal. O local é bem charmoso.

Dica Volto Segunda

Os valores dos produtos são ótimos, as famosas bolsas colombianas coloridas artesanais, as wayuu, saem por 70.000 COP (R$ 74,00), lindos casacos em estilo andino por 50.000 COP (R$ 53,00). Vale muito a pena!

Dali fomos caminhando até o Mercado de Las Pulgas de Usaquén, a famosa feirinha que ocorre aos domingos. Aí você encontra antiguidades, objetos de decoração, peças em vidro, lindos acessórios como colares, roupas, especiarias, frutas e muitas comidinhas de rua. Uma dica é substituir o almoço por elas, dá pra provar várias coisas típicas. Se quiser comprar presentes a bons preços, é um ótimo lugar.

Nos arredores verá ruas em estilo colonial, prédios históricos como a Iglesia de Santa Bárbara, a pracinha, antiquários, lojas de tecido e muitos bares e restaurantes descolados. Confira!

Partimos pra Candelaria para o nosso tour guiado, que estava agendado às 14h. No roteiro, fomos conhecendo vários prédios históricos. Os que mais me chamaram atenção, além dos que já tinha visto no dia 1, foram o Edificio Liévano, onde está a sede do governo, a Iglesia y Museo Santa Clara que tem a maior coleção de arte barroca do país, o Observatorio Astronômico e a Iglesia de San Agustin. Conhecemos tudo de passagem, não deu tempo para entrar nas igrejas e museus. Dá pra ficar horas no centro. Mais uma vez, o guia tinha muito conhecimento e nos deu uma aula de história.

Caminhamos mais um pouco pela parte da Candelaria que tem várias casinhas coloridas, um charme, e onde está a emblemática Iglesia de La Candelaria.

Experimentamos mais comidinhas de rua e pegamos um táxi pra subir até a entrada do Cerro de Monserrate (cerro=monte, colina). É importante ficar atento ao horário de funcionamento do local, mas também pra ver o pôr do sol lá de cima, que é sensacional! Os horários e valores, que variam de acordo com o dia da semana, estão bem claros no site, consulte pra se programar.

É possível subir de funicular, tipo um trenzinho, ou de teleférico. Nós fomos de teleférico, o ingresso custa 5.500 COP cada trecho (R$ 6,00), pois no domingo é mais barato.

Imperdível Volto Segunda

Lá do alto a vista panorâmica da cosmopolita Bogotá, é de tirar o fôlego, dá pra ficar um bom tempo apreciando. O santuário do Senhor Caído está localizado no alto do morro, são 3.200 metros acima do nível do mar. Dizem que Monserrate é o responsável por cuidar da cidade; é lugar de peregrinação dos devotos, mas pelo que vi a subida a pé está temporariamente suspensa. No cerro você encontra também dois restaurantes, que dizem que são caros, e lojas de artesanato. Foi uma bela forma de dar tchau a hermosa Bogotá!

Fique Atento Volto Segunda

Pra ir embora, já tinham nos avisado que não deveríamos pegar os táxis “particulares” que estão na saída do parque. Como já estávamos cansadas e atrasadas pra nossa reserva da noite, andamos um pouco e não encontramos outras alternativas. Teríamos que realmente ter descido mais para o centro.

Bom, eles ficaram insistindo e acabamos pegando. O motorista era um pilantrinha, correu muito, fazendo curvas em alta velocidade, costurando o trânsito e falando sem parar. Foi um rali urbano! Quando chegamos, ele não quis subir até a porta de entrada do hotel, alegando que o carro era rebaixado e foi aí que nós, blogueiras de viagem experientes, jejejejeje, caímos no velho golpe do “você me deu a nota errada”. Gente, ele fez uma confusão com aquele dinheiro e queria arrancar mais notas da nossa mão, dizendo que não estávamos entendendo. Bom, no fim marchamos com pouco, porque sempre andamos com troco no caixinha do táxi, mas foi tenso e desnecessário. Então, não faça como nós, procure os táxis oficiais amarelos.

Domingo foi a noite do famoso Andrés Carne de Res.

Na segunda, descansamos um pouco, tomamos um belo café da manhã e fomos com nosso bud Wilson, já saudosas, pro aeroporto.

Você imaginava que tinha tanta coisa pra fazer em Bogotá? Bom, espero que tenha curtido a nossa “viagem” e que as informações te ajudem! 😀

O próximo post será sobre gastronomia, pela nossa Chef Fernanda, e eu ainda vou te contar o que fizemos a noite por lá. 😉

Outras opções de passeios que não fizemos, por falta de tempo, e foram recomendadas pelos locais:

Parque Nacional – é um patrimônio da cidade com grande importância ambiental, cultural e esportiva. Tem várias quadras para esportes variados, até pra hockey. Também há apresentações, cursos e oficinas de teatro para crianças e jovens.

Parque Metropolitano Simón Bolívar – é um grande parque com praça de eventos para 60.000 pessoas, espaço pra crianças, lago com botes, pedalinhos e canoagem e ciclovias, onde ocorrem atividades culturais e esportivas.

Maloka, Centro Interactivo de Ciencia y Tecnología – é um centro interativo pra crianças, considerado o mais importante do gênero na América Latina. Os pequenos aprendem brincando sobre temos como biodiversidade, física, tecnologia, os mistérios do universo e do ser humano.

Jardín Botánico José Celestino Mutis – além da diversidade de plantas e da beleza natural que você encontrará por lá, na última sexta-feira do mês à noite, há belos concertos musicais gratuitos. O lugar é lindo!

Planetário de Bogotá – pra quem curte astronomia, vale a visita. O lugar conta com uma cúpula de 25 metros de diâmetro (a maior da América Latina com 482 lugares), onde reproduzem através de projeções os fenômenos celestes. Além disso, promovem vários palestras e oficinas sobre o tema.

Se ficar um tempo maior, há passeios que podem ser feitos desde Bogotá:

Parque Natural Laguna de Guatavita – é uma bela lagoa no topo de uma montanha, rodeada por bosques nativos, com uma vista espetacular. Reza a lenda que nela o cacique mergulhava e saía com poderes especiais. É um tour que toma o dia todo, pois são 2 horas pra ir e 2 pra voltar, e no local, em média, 3 horas de visitação.

Villa de Leyva – está a 3 horas de Bogotá, 6 no total. Povoado com características do período colonial, lindas ruas e construções, lagoas e poços que ficam bem azuis quando reflete o sol. Aí há um Aventura Park, onde é possível fazer esportes de aventura.

LEIA MAIS:

BOGOTÁ | CAPITAL DOS COLOMBIANOS

BOGOTÁ: A CIDADE DE VÁRIOS SABORES

Por Aline Maldaner

Deixe um comentário

18 comentários em “COMO CONHECER BOGOTÁ EM 3 DIAS”

  1. Yuri disse:

    Que magnífica! Irei fazer também 03 dias em Bogotá e embarcar para Cartagena. Seu post me ajudou muito e diga-se de passagem : quanta coerência nas informações! Senti falta dos custos de viagem. Estou levando pouco dinheiro, poderia me falar um pouquinho sobre a moeda local? Qual a média do custo diário ? Um abraço e parabéns!

    • Aline Maldaner disse:

      Oi Yuri, tudo bem por aí? Que bom, fico muito feliz por ter contribuído com tua viagem. Bogotá é demais, você vai curtir muito! Minha sugestão pra dar uma segurada nos custos seria ficar em algum hostel pelo centro histórico de Bogotá. Assim você pode agendar aquele tour guiado a pé gratuito e conhecer tudo que descrevi lá no post e as redondezas. A maioria das atrações turísticas são nessa área. As entradas para os museus são baratas. Pelo centro tem também muita comidinha de rua e restaurantes pra todos os bolsos. Não chegamos a fazer baladinhas nessa região, ficamos pela Zona Rosa, mas disseram que é animado também. As baladas que descrevi no post, Andres Carne de Res, Gaira Café e Armando Records, são mais caras, preço de turista. Na comparação peso colombiano x real, posso te dizer que quando fomos os preços estavam equivalentes a de uma capital aqui do Brasil. É difícil te dizer uma média de gastos por dia, pois depende muito do teu estilo de viagem. Espero mesmo assim ter te ajudado e qualquer coisa mais pergunte aqui! Um abração!

  2. Daniele disse:

    Oi, tudo bem? Como vcs fizeram com o dinheiro? Levaram dólares do Brasil e trocaram no aeroporto? Ou usaram dólares no dia a dia (ouvi dizer que muitos lugares aceitam)? Outra dúvida é sobre táxi: é fácil pedir e pagar? Vcs usaram algum aplicativo? Como vou a Bogotá fazer um curso de 5 dias, só terei as noites pra passear, então acho q o táxi vai ser mais seguro… Um abraço e obrigada pelas dicas do blog!

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Oi Daniele, tudo bem?

      Você pode levar dólares e trocar pela moeda local nas casas de câmbios do centro, onde se encontram as melhores taxas. Vale ressaltar que as taxas de câmbio em aeroportos normalmente não são as mais vantajosas, por isso indicamos que procure as do centro. Evite fazer câmbio com pessoas na rua. Para compras no comércio local, é mais recomendado que se use pesos e alguns estabelecimentos não aceitam dólares. Por isso sugiro que troque alguma quantia em pesos colombianos. Com relação ao transporte, os táxis são baratos e limpos. Opte pelos oficiais (amarelos) pois são mais seguros e são facilmente encontrados. A dica aqui é negociar sempre antes de embarcar, assim você não é pega de surpresa ao pagar a corrida. Acabamos não usando aplicativos pois tínhamos conexão somente onde havia wi-fi grátis e não é em todo lugar que este serviço está disponível. Mas lá existe Uber também.

      Espero ter ajudado. 😉

      Uma ótima viagem.

      beijos

  3. adriana disse:

    Oi. Parabens pelo post. Super legal. Estou indo dia 18 pra Bogotá e me ajudou muito. Só uma duvida, vc poderia me dar o passo a passo para agendar o tour gratuito pelo centro? Nao consegui localizar onde se inscrever!
    Obrigada!

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Obrigada Adriana!

      Numa das esquinas da Plaza de Bolívar está a Casa de Los Comuneros, que na atualidade é sede da Secretaria de Cultura, Recreação e Esportes. É lá que você poderá agendar um tour guiado gratuito, feito a pé, por toda a Candelaria. Na ocasião, em função de um evento que acontecia naquele dia na praça, os tours estavam suspensos, então agendamos o nosso para o dia seguinte, no início da tarde. É simples, só chegar, perguntar a disponibilidade e agendar para o dia ou outro mais interessante pra você. Aqui segue o contato para maiores informações: http://www.culturarecreacionydeporte.gov.co/.

      Aproveite Bogotá e depois nos conta como foi! 😉

      Abraços,

  4. Lílian disse:

    Oi Maria Elisa.
    Estava sem tempo de fazer uma programação para essa viagem e seu post me ajudou muito.
    Queria só uma confirmação: posso confiar 100% no motorista Wilson? Estou indo sozinha e ter alguém de confiança por perto é muito bom.
    Aguardo seu retorno.

    • Maria Elisa Tartoni disse:

      Oi Lílian, tudo bem? Que bom que o post te ajudou! Essa é a ideia 😉
      Com relação ao Wilson, ele nos pareceu muito sério e nos sentimos seguras. Agora afirmar se você pode confiar 100%, aí já é uma grande responsabilidade pra gente. O que podemos dizer é que no geral a experiência foi positiva. Compartilhar com um conhecido (ou até mesmo com o pessoal do hotel) a rota e dados do motorista, como sugestão, é uma opção que pode te deixar mais a segura.
      Espero ter ajudado. Uma excelente viagem!

  5. Juliana Barbalho disse:

    Olá meninas,
    Passei pra agradecer… fui à Bogotá e Cartagena em outubro deste ano com uma amiga, as dicas de vocês foram maravilhosas!!!
    Ah, contratamos o Sr Wilson ainda aqui, ele realmente é bastante atencioso. Brinquei que ele tá ficando famoso no Brasil. Rsrsrsrsrs…
    Minha dica em relação a deslocamento é que evitem os táxis e peguem Uber, nos sentimos bem mais seguras. As experiências com os taxistas não fora positivas, não queriam dizer o valor da tabela, tentaram passar notas erradas.
    Em Cartagena indico a “Yoni Tours” para os passeios, agência logo no início da cidade murada. Eles oferecem o que pedimos, sem ficar tentando vender o céu. Rsrsrsrs… Fone 300 732 0215 procurem por Mike.
    Beijos.

    • Olá Juliana tudo bem? Adoramos teus comentários, nos matamos de rir e ficamos super felizes em poder ajudar! O Sr Wilson é ótimo, já está ficando famoso no Brasil hahahahahaha…ele merece! Ele merece! hahaha 😀 Show as tuas dicas quanto ao Uber e Yoni Tours! Faz tempo que fomos a Cartagena, então sempre é bom receber atualizações e dicas novas! Quando a gente voltar, já sabe! Muito obrigada por confiar na gente, pelas dicas e por acompanhar o blog. Volte Sempre! Um abraço de toda nossa Equipe 😀 \o/

  6. Jackeline disse:

    Adorei! Podem passar uma média de quanto gastaram nessa viagem?

    • Olá Jackeline tudo bem? Como fizemos uma viagem que começou pelo Peru, passando por Lima, Cusco e Machu Picchu, finalizando em Bogotá, não saberíamos dizer valor de passagem direto do Brasil a Bogotá. E sobre a acomodação, vai depender se você prefere airBNB, pousada, hostel, hotel 5 estrelas….o valor pode variar muito. Se você levar U$ 600,00 dólares para 3 dias, acreditamos que dá, incluindo uma hospedagem modesta. Também depende quantos passeios você quer fazer por dia. Mas com 200,00 dólares / dia acreditamos que dá pra fazer uma viagem tranquila. Obrigada pela visita e volte sempre. Abraços, Equipe Volto Segunda.

  7. beno petry disse:

    Olá
    Vou para Colombia final de abril, e tenho 3 dias em bogotá. Não comprei hospedagen ainda, Dou preferência a localização, proximidades dos pontos turísticos. La Candelária é mesma coisa que Centro Histórico? Chego domingo ao meio dia, posso ir direto a feira de Usaquem, ou Montesserat? ou os dois….qual sua recomendação? Aline Maldaner é de Agua Boa?

    • Olá Beno tudo bem? Não sou de Água Boa. Sou de Novo Hamburgo, RS, além de ser cidadã do mundo, é claro! 😉 Bogotá é incrível. Uma metrópole bem agitada e com trânsito intenso. Sim, La Candelária é o Centro Histórico, se desejar ficar próximo aos pontos turísticos é uma boa opção. O Cerro de Monserrate é no Centro Histórico, então se ficar por ali estará pertinho. Como a Feira de Usaquén não é no mesmo bairro, pode ficar corrido fazer tudo numa tarde. Se fizer questão de ir à feira, dê prioridade no domingo para visitá-la e depois explore o que der tempo pelo Centro. Deixando o Cerro de Monserrate para o outro dia. Boa viagem! Um abração, Aline e Equipe VS.

  8. Alessandro Pereira disse:

    Valeu muito as dicas de passeios e a indicação do Sr. Wilson. Ele realmente é diferenciado. Não é um simples taxista, mas um chofer. Tem um carro enorme bom para grupos e de uma educação enorme. Obrigado pelas dicas. Podem confiar no Sr Wilson. O preço talvez seja maior do que outros taxistas passam cobrar mas como falei, é diferenciado.

    • Olá Alessandro tudo bem? Que bom que a dica foi útil e que vc gostou do serviço dele. Conosco ele também foi fantástico e o valor compensou, até porque um táxi comum em Bogotá pode não ser uma opção muito segura. Obrigada pela visita, pelo feedback e volte sempre. Abração, Aline.

  9. Marielly Rohr disse:

    Eu e meu marido estamos encerrando nossa passagem por Bogotá e seguindo para San Andres. Contratamos o Sr Wilson para translado, city tour pela Lá Candelária e para a Catedral de Sal. Ele é um senhor muito agradável, prestativo e simpático. Gostamos muito dele, porém achamos o serviço um pouco caro. Sabemos que é um serviço executivo com um ótimo carro e seguro. No segundo dia nós aventuramos no Uber e foi bem tranquilo, bem mais barato e não tivemos problemas com nada, os motoristas são um pouco calados porém teve um muito simpático que nos explicou muito sobre Bogotá.
    Recomendo o Sr Wilson para translado Aeroporto x Hotel e para a Catedral de Sal pois ele nos passa uma segurança enorme e é muito pontual, mas as demais coisas da pra fazer de Uber tranquilamente.

    • Olá Marielly tudo bem? Que bom que vcs gostaram do serviço do Sr. Wilson. E que bom que vcs também tiverem um bom serviço do uber por lá. Obrigado por deixar aqui seu feedback. E sua sugestão. Muito válido para nossas próximas viagens à Colombia e para nossos leitores. Um abraço com carinho de toda equipe do VS. Voltem sempre 😀